Professor do Ensino Superior AVALIAÇÃO DO DANO CORPORAL

Mamede Albuquerque

Rua de Tomar, nº 2, 3000/401 Coimbra
http://pmadac.com

917766093
mamede.albuquerque@gmail.com
Se foi vítima de algum tipo de acidente e necessita de avaliação da incapacidade dele resultante procure o nosso Centro.
Com mais de seis mil exames realizados em dezasseis anos de existência, o nosso Centro tem um lugar à parte no panorama da peritagem médica e na clínica médico-forense privada em Portugal.
Responde com rapidez às diversas solicitações, procede ao acompanhamento integral dos utentes nas diversas fases dos processos mais complexos e promove a defesa médico-pericial dos examinados nas juntas, recursos e outras diligências necessárias à defesa dos seus justos anseios e plenos direitos.

CENTRO DE PERICIAS MÉDICAS E ORTOPEDIA FORENSE - Albuquerque e Lima Lda - Licença de funcionamento 7553/2012 ARSC

Últimas Estatisticas

Últimas Estatisticas

 

Morreram 268 pessoas na estrada no primeiro semestre deste ano

 

 

Os acidentes nas estradas portuguesas provocaram 268 mortos no primeiro semestre de 2011, mais seis que em igual período de 2010, revelam dados divulgados, esta quinta-feira, pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.

 
foto ARTUR MACHADO/GLOBAL IMAGENS
Morreram 268 pessoas na estrada este ano
 
 

Segundo a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), que reúne dados da PSP e da GNR, 268 pessoas morreram em acidentes rodoviários entre 1 de Janeiro e 31 de Maio, enquanto no mesmo período do ano passado se registaram 262 vítimas.

Foi no distrito de Lisboa que os acidentes provocaram mais mortos, 39, seguindo-se o Porto, 34, e Leiria, 27.

Já os distritos com menos vítimas mortais nas estradas nos primeiros cinco meses do ano foram Guarda, que registou uma vítima, Bragança, duas, e Portalegre, com quatro vítimas mortais.

Por sua vez, os feridos graves diminuíram 5,8% nos primeiros cinco meses deste ano. De acordo com a ANSR, 888 pessoas ficaram gravemente feridas entre 1 Janeiro e 31 de Maio, enquanto no mesmo período do ano passado sofreram ferimentos graves 943 pessoas.

Os dados da ANSR mostram também que os feridos ligeiros diminuíram, registando uma descida de 8,4% ao passarem dos 16.712 no ano passado para 15.292 este ano.